3 de out de 2011

Considerações sobre a cobrança eletrônica


Implantada nas empresas de cobrança como a grande solução para reduzir custos de ligações e aumentar os resultados positivos, a ferramentas de cobrança eletrônica, demonstraram serem ineficázes.
Servem apenas, nos casos em que os escritórios de cobrança, precisam mostrar relatórios de trabalhos para ganhar um valor previamente contratado, mas, não servem para os casos em que o escritório só receba remuneração por negociação recebida.
Vejamos:

1) As discadoras eletrônicas, são programadas para efetuarem as ligações em ordem alfabética. Portanto, o Aaron recebe ligação toda manhã às 8:01h, o Manoel recebe diariamente uma ligação às 13:15h e o Zoroastro recebe, sua ligação diária às 17:59h.
Se coincidir o horário com a ausência do cliente, a probabilidade de ocorrer novamente o desencontro nos dias seguintes (já que as ligações são sempre nos mesmos horários) será muito grande.

2) A ligação eletrônica inicia com uma frase, mais ou menos, assim:
"Se você é a pessoa citada, tecle 1"
"Se você conhece a pessoa citada, tecle 2"
"Se você não conhece a pessoa citada, tecle 3"
Hãhã!
Quantas pessoas já teclaram as opções 1 e 2?

Automatizar procedimentos repetitivos é altamente recomendado, porém, é preciso escolher o software adequado ou usar os recursos que o mesmo possui.
Um bom sistema deverá prever a alteração periódica de ordem de ligações já que advinhar quem está atendendo a ligação, ainda não é possível.