13 de mar de 2016

Como acabar com os políticos corruptos


Dias atrás, me perguntaram até onde vai essa "poca vergonha política"? Essa roubalheira! Se não tinha como acabar com os políticos corruptos?

Minha resposta não agradou quem fez a pergunta.


1) Enquanto nós, cidadãos, continuarmos agindo, pensando mais em nosso benefício do que no benefício de nossa comunidade, continuaremos tendo políticos corruptos.
Citei um exemplo:
Um homem, está em um vestiário de um clube, olha no chão e vê um par de chinelos.
Olha para um lado, olha para o outro, ninguém por perto.
Abaixa, pega os chinelos, poe na mochila e fica todo feliz que encontrou um par de chinelos novos.
Depois conta para os amigos: - Imagina se eu ia deixar lá? Novinho! Lá esquecido! Se eu não pego, alguém ia pegar!

Acha exagero?

Então deixa contar outra situação.

2) Um cidadão, encontra na sua uma carteira recheada de dinheiro, em plena semana de pagamento.
Olha para os lados, cobre a carteira com o pé, arrasta ela para um canto, abaixa discretamente e a pega.
Poe no meio das suas coisas e vai embora, feliz que achou uma grana. Depois, doa 10%  para alguma obra assistencial, por via das dúvidas e leva os documentos no correio para ver se devolvem pro dono, já que 2a. via de documento é um parto, né?
Do dinheiro, nem um pio, afinal de contas, se a outra pessoa perdeu é porque não estava precisando ou não faz falta.

Quer mais?
Leia esta!

3) Fila do supermercado. Caixa rápido.
Consumidor com um carrinho lotado de compra, pegando fila porque ali é mais rápido e ele está com pressa.

4) Área reservada para deficiente físico em estacionamento.
Vou parar aqui mesmo, porque vai ser rapidinho.

5) Uma pessoa compra um automóvel, por 1/3 do preço, de uma pessoa que chegou dizendo: - Olha! Este carro tinha sido comprado por uma pessoa lá na Bahia (ou outro estado bem longe) e ele não pagou as parcelas, então o carro foi pego pelo banco e agora o banco esta vendendo mais barato.
Só vamos deixar no nome do outro por enquanto pra não ter que refazer o contrato e aumentar o preço. Vai usando, que logo, logo, vem a transferência no seu nome.

6) E quando crescemos achando que a pessoa mais legal é a que vive dando presentinhos?

7) Enquanto continuar o pensamento que, jogando lixo e esgoto nos rios, quem vai se ferrar é só o "outro" que mora rio abaixo, muita coisa não vai mudar no futuro.

8) Quando participamos de uma corrida como "pipoca" sem pagarmos inscrição e bebemos a água de quem pagou para participar, estamos saciando a sede de um microcorrupto.

9) Estacionar em local proibido para esperar alguém e abrir o capô do carro para fingir que o carro quebrou, para enganar o guarda, se ele aparecer.

10) Cidadão com um belo carrão importado, para o trânsito de metade de um cruzamento, porque está com o carro atravessado na pista, esperando o melhor momento de fazer uma conversão proibida.

11) Pessoa (jovem universitária) acaba de se mudar para um novo condomínio, manda recado para o síndico dizendo que quer conversar, puxa para um canto e propõe:
- Eu acho que está caro o que estão pagando pela faxina. Posso arrumar para um "parente" vir fazer a faxina, eu faço ela pedir um valor mais baixo e você embute no serviço a faxina do meu apto."

Sim, cada pequena atitude dessa é que faz nosso pais ter tantos políticos corruptos.
Lembra daquela aula na escola? - O político é um representante do povo!

Dizem que "a ocasião faz o ladrão". Errado! A  ocasião faz o ladrão levar o que tem disponível.
Ou ele é ou não é uma pessoa que está disposta a se apropriar da coisa alheia.

Se a pessoa cresce levando pra casa, chinelos, carteiras, furando filas, desrespeitando regras e achando que melhor pessoa é a que dá mais presentes, quando tiver um cargo público vai continuar agindo assim, só que não é só uma carteira ou um chinelo que ele vai encontrar, por perto.

É difícil mudar? Sim, é! Não vou mentir. Porém, não é impossível.
Não é uma atitude de rompante cívico, com passeatas momentâneas, como se fosse um dia de copa do mundo, que vai mudar o pais.
Não é pintando a cara em um dia e no outro, pegando o pendrive alheio que vamos construir uma grande nação!

Aliás, grande nação já somos!
Maior do que muitas outras por ai que pensamos que são melhores que a nossa, mas isso, é tema para outro dia.


Eduque seus filhos e eduque os filhos dos outros, sempre que possível.
Ensine-os que o que é certo é certo sempre. O que é errado é errado sempre.

Quando ele for eleito, saberá o que fazer!