10 de abr de 2016

A revolução na educação



Em um primeiro momento, pode parecer simplista o conceito de que todos os problemas "do mundo" ou da sociedade moderna, possam ser solucionados através da educação das pessoas.
Educação, aqui entendido, não somente a questão envolvendo palavrões e insultos ou a omissão deles. Falamos aqui da "educação" no sentido completo da palavra.

Educar é preencher a alma de uma pessoa com conhecimento que permita, ela própria, fazer suas escolhas, tomas suas decisões e encontrar as soluções para seus problemas.

Erros, sofrimentos, dificuldades e autodestruição
No mundo atual, sofremos mais por erros de decisão, erros de escolha, sejam os erros induzidos pela mídia, pela imprensa tendenciosa, seja pela falta de conteúdo, para embasarmos nossas decisões, do que por qualquer outro motivo.
Estamos sendo moldados para termos medos que nos levem a consumir determinados produtos para nos dar proteção. Desejos que nos levem a consumir mais.
A discórdia é semeada entre nós, para que isolados uns dos outros, não possamos, trocar informações e termos "insights" reveladores

O resultado de tudo isso, é o cenário que estamos vendo.
O mundo onde o ser humano caminha para a autodestruição.

Várias soluções nos são apresentadas, como solucionadoras.
O assistencialismo político não é o caminho, mais do que dar a alegada "igualdade de condições" ele escraviza as pessoas.
Cada vez mais, mais e mais será necessário para suprir a demanda crescente ao passo que cada vez menos, menos e menos, quem tem, vai querer compartilhar com os que necessitam.
Armar as pessoas, umas contra as outras e deixar que elas próprias reduzam as populações não é o caminho. Esse processo não tem fim, até que, restando apenas dois humanos, ambos tentem se matar para não ter que dividir o mundo com o outro.

Como é possível parar esse processo e até mesmo revertê-lo, se nada tem funcionado?
A solução, aliás a única solução possível é a educação das pessoas.Não é só uma questão de ser bondoso, justo, religioso, etc, etc e etc,
Até mesmo o maior dos egocêntricos, se pensar bem, vai chegar a mesma conclusão.
Não estaremos seguros, enquanto existir uma única pessoa que não tenha sido privilegiada com a luz do conhecimento, da instrução, da informação.

Do conhecimento ao autoconhecimento
O conhecimento, nos mostra o quanto somos, pequenos dentro do universo, ao mesmo tempo tão especiais e importantes, como cada um dos outros seres.
O conhecimento nos leva a admirar a luta pela vida de uma simples planta ao brotar. Uma pequena flor, ao abrir suas pétalas.
Nos faz compreender os ciclos da natureza, a força de suas águas, da energia do sol, a importância da luz e da noite.

"A pessoa com maior bagagem de informações, sofre menos em sua vida.
Ela encontra soluções mais rapidamente, encontra mais opções de soluções, inclusive."

Como iniciar esse processo de educação de forma efetiva?
De todas as formas que temos disponíveis atualmente, de distribuirmos o conhecimento creio que a que verdadeiramente vá revolucionar o processo de educação, está no uso de e-reader (leitores digitais) para as crianças, carregados com exemplares dos melhores livros já escritos, independente da época em que foram publicados.
De todas as matérias. Sejam de estudos, literatura.

Porque um e-reader?
Primeiro porque são os equipamentos melhores desenvolvidos para a leitura. Sua tecnologia de eink (tinta eletrônica) permite que um leitor eletrônico possa ser lido por horas e horas, dias e dias, antes de precisar de uma nova recarga.
Seu consumo de energia é baixíssimo.
Dentro de um e-reader, mesmo nos modelos mais baratos, cabem milhares de livros. E ainda podem receber memória adicional para armazenarem mais livros.
Livros escolares, então! Podem ser atualizados a cada nova edição, com uma simples conexão na internet ou em um computador.
Você sabia que a dificuldade em entender o conteúdo é o principal motivo para as pessoas abandonarem a leitura?
Um e-reader trás embutido, dicionários. Acessíveis com o simples toque do dedo sobre a palavra desconhecida.
E-readers foram criados pensando em solucionar a maioria das dificuldades de leitura.
Não ocupam grandes espaços no armazenamento e transporte. 
Estão sempre acessíveis.
Podem ajustar o tamanho da letra e intensidade das letras de acordo com a necessidade visual do leitor.
Possuem marcadores de páginas.
Permitem anotações.
Livros digitais, são baixados rapidamente em qualquer banda de internet, até nos pacotes mais lentos e menores.

Obs.: Minha única preocupação era. Onde os jovens pobres iriam encontrar energia elétrica para recarregarem seus leitores.
Se já estamos tão bonzinhos que permitimos que as pessoas recarreguem seus "Smartphones" em rodoviárias, lanchonetes, escolas, etc, porque não vamos permitir que recarreguem seus leitores digtais?

Livros digitais x Livros Impressos
Livros digitais são de produção bem mais barata do que os livros impressos, o que permite que os livros antigos e fora do interesse comercial das editoras possam ser lidos, novamente.
Sim, livros fora de moda ficam encalhados em prateleiras, então, as editores, simplesmente, deixam de publicá-los.
Além disso, as editores perdem o direito de exclusividade sobre um livro, quando um livro cai em "Domínio público". - No Brasil isto ocorre no primeiro janeiro, após o aniversário de 70 anos da morte do autor. O que reduz o preço dos livros, já que qualquer um pode publicá-lo. Deixando de ser interessante para a editora.

O futuro pode começar agora
Imagine uma criança, crescendo, com acesso a uma fonte enorme de informação confiável.
Jovens trocando livros digitais.
Saraus de leitura, acontecendo pelos cantos. Em bares, cafeterias, clubes.
Pessoas descobrindo o desejo de escrever bem, para ter seu livro publicado.

O que está impedindo a revolução cultural começar?
Interesses políticos (sim, sempre eles).
Interesses comerciais (dos famintos por dinheiro).
Interesses religiosos (das falsas igrejas, claro).

Tempo para colhermos os resultados
Uma ou duas gerações, para começarmos a ver os efeitos da revolução, rotineiramente. Porém, em pouco tempo veremos mudanças pontuais, visíveis no rosto de cada criança contemplada com um leitor digital.

Custo da revolução
Um leitor digital, chega a ser vendido por algo em torno de US$ 99.00. Isto porque ainda é visto como um produto comercial. Imagine como os preços poderão ser reduzidos quando a escala de distribuição for maior. Quando grandes grupos começarem a negociar a compra destes equipamentos para a distribuição para as pessoas?

Livros digitais são encontrados gratuitamente, tanto os de domínio público em grandes bibliotecas virtuais, confiáveis, como com preços promocionais nas editoras.
Fora que, muitos autores adorariam colaborar com a revolução, com algum de seus títulos, graciosamente.

Debates
Queridos leitores, o que acham da ideia?
Vamos discutir o tema?
Debater?
Procurar viabilidade para iniciarmos a revolução?