3 de fev de 2016

Uma aliança por 10 centavos


Aprendi aos trancos e barrancos que, quanto mais nervoso eu ficava, mais eu perdia.
Mesmo assim, fiquei algumas vezes, nervoso.
Não é bom estarmos assim.
Ficamos parte cegos, parte surdos, parte burros.
Falamos demais e falamos besteiras demais.
Sempre quando fico nervoso, tento me lembrar da imagem do Pato Donald, dando seus chiliques. Pulando e quackeando.
Quanto mais nervoso, ficava, mais atrapalhado ficava, mais coisas erradas aconteciam.
Na ultima vez que perdi a cabeça, lembro de ter enfiado a aliança de casamento no bolso do shorts que estava usando.
Caminhei o supermercado. Fiz compras do dia.
Fui para o caixa. Ainda com a carga da irritação. Coisa que não devia ter feito. Devia ter esfriado a cabeça.
Enfiei a mão no bolso para pegar algo, ouvi um barulho de metal caindo e quicando.
Como estava puto demais para me ligar ao que estava acontecendo e irritado demais para por os óculos, prossegui na fila.
Logo, quem estava atrás, me chamou aponto para algo no chão e disse:
- aquilo é teu?
Aborrecido, devo ter virado com uma cara de losta, olhei para o chão, abaixou 3 peguei a Moeda de 10 centavos que estava no chão. Enquanto fazia uma cara de "putz! Pôr que me incomodou por 10 centavos?"
Fui para casa, ainda puto com o ocorrido, antes e não quis saber de pegar a aliança no shorts.
Manhã seguinte, vou pegar a aliança e cadê a dita cuja?
Corri para o supermercado e nada de alguém ter encontrando e devolvido a aliança.
Acho que estes 10 centavos, ficarão gravados para sempre. Para que eu não deixei mais a raiva tomar conta de mim.