9 de fev de 2016

Tempo de vida x Valor da vida x Qualidade de vida


Hoje vivemos mais e talvez, por isso mesmo, o valor que damos a cada minuto de vida é menor.
É como se uma vida tivesse um valor predeterminado e esse valor fosse dividido pelos minutos que vivemos. Deste modo, hoje, se é possível viver em média até 65, 70 anos, o valor do minuto é inferior do que no passado, quando uma pessoa vivia em média, 45 anos.
A brevidade da vida, no passado, parece que impulsionava as pessoas a viverem mais, aproveitarem mais cada minuto dos poucos anos de vida que teriam.
Hoje, pelo contrário, o que vemos são pessoas, correndo atrás de coisas, comprando, acumulando e deixando de viver, da forma que deveria, seus preciosos minutos, pois, têm, a vã crença de que nos minutos futuros, poderão desfrutar plenamente da vida e recompensar o tempo perdido.
Porém, o que as pessoas esquecem é que; não há volta.
Não há como recuperar o minuto perdido.
Você pode manter seu corpo em forma, porém, não será a mesma coisa que um corpo jovem saudável.
Isso sem contar nos riscos, nas surpresas que o destino nos reserva.
Quem garante que um AVC, uma doença ou fatalidade, não venha a cortar, reduzir ou modificar o tempo que resta?
Com esse desperdício de tempo, a qualidade da vida está pior.
Reflita sobre a qualidade da sua vida!
Está vivendo?