16 de jun de 2011

Copistas modernos



Muito se fala sobre os piratas na internet.
Pessoas que são consideradas por muitos, como criminosas por copiarem e disponibilizarem graciosamente, na internet, conteúdo que só deveria estar disponível para os que pagaram pelo direito de ver, ler ou ouvir estes conteúdos.

Estas pessoas rotuladas de "piratas", são descritas como inescrupulósas, pessoas que não respeitam a lei, à ordem e os costumes. Pessos que não respeitam as instituições, as marcas e os direitos autorais...

Será que são mesmo tudo isso?
E quem são as pessoas que as rotulam assim?
São pessoas que justificam os preços altos dos DVDs, livros e CDs, o preço alto do ingresso do cinema, culpando os "piratas" pelos prejuizos que precisam recuperar no preço de quem paga pelo conteúdo "protegido".
Ok! Parece ser um argumento consistente!
Mas, será que, caso não ouvessem os "piratas" e esses conteúdos se tornassem raros e unicamente acessíveis através de um pagamento, os preços não seriam ainda mais altos?

Já que nos fazem pensar que os "piratas" são uns MONSTROS ganânciosos... porque não pensar o mesmo das grandes empresas que detêm os "direitos" de tais conteúdos?


Eu mesmo fui contra a "pirataria" por puro amor cego "as leis", até tomar conciência de que os ditos "piratas", na verdade são pessoas dedicadas e devotas às tradições.

Duvida?

Tente compreender todo o processo de cópia e as qualidades envolvidas:
1)  Socialismo: Em algum momento, alguém precisa comprar o conteúdo original e protegido e não é qualquer conteúdo. No ato da aquisição o comprador já tem a visão solidaria de pensar que o conteúdo está sendo desejado por outras pessoas que podem ter acesso ao conteúdo. Seja por questão financeira, por questão de idioma, política ou qualquer outro fator.
2) Recursos: É preciso ter os equipamentos e softwares adequados para a realização da cópia.
Aqui já começamos a ver a união de esforços em prol da divulgação do conteúdo, pois, via de regra, outra pessoa desenvolveu ou possui os equipamentos ou softwares necessários.
3) Dedicação: É fundamental dedicar parte do dia para a realização de processos repetitivos e monótonos de execução da mídia original, e captação dos dados para a cópia.
A realização da conversão do conteúdo, a compilação e publicação.
Tudo isso, sob o risco de ser identificado, preso e processado.

Por melhores recursos que tenha o "pirata" para copiar um livro físico, ele terá que digitalizar página por página. Para copiar um disco antigo ele terá que tocar o disco pelo tempo normal dele e o processo de conversão é ainda mais demorado.

Ok! Mídias eletrônicas são reproduzidas em maiores velocidades.
Sim, mas uma boa cópia, mesmo de um CD, de um DVD ou livro eletrônico, leva tempo para ser extraida e o tempo é proporcional a qualidade obtida. Cópias a 48x são  mais sucetíveis de apresentarem falhas do que as cópias s 8x ou menos.

E observe que nem levamos em conta, até aqui, do tempo e dedicação necessários para a criação de legendas nos mais variados idiomas, ou as traduções dos livros.
Para ester processos, mais pessoas doaram parte de seus conhecimentos para a realização do processo.
Como pessoas que possuem alfabetização em mais de um idioma, rapidez na digitação, conhecimentos de editoração etc etc.

Em resumo, os chamados "piratas", na verdade são... copistas.
São eles que garantem que uma informação, uma história ou um fato importante, será repassado, será perpetuado e estará acessível por um maior número de pessoas.
São as pessoas que com suas dedicações, levam a luz do conhecimento aos cantos mais inacessiveis e onde existia a penumbra.

Enaltecemos histórias reais ou fictícias de pessoas que lutam contra regimes totalitários e opressores. Pessoas que passam por provações e enfrentam dificuldades para que uma informação seja publicada, uma verdade seja revelada, ao mesmo tempo atiramos pedras em pessoas que podem ser as responsáveis, com seus esforços, em evitar que um livro contemporâneo, um novo filme seja em DVD ou apresentação no cinema ou um CD de música, sejam lançados a preços estratosféricos.

Hoje, tenho a certeza que, sem estas pessoas, nenhum ingresso de cinema, ingresso de show de música ou um livro, seriam vendidos por menos de R$ 200,00 ou muito mais!


Obs.: 
Esta análise levou em consideração o processo de cópia com qualidade e traduções efetuadas com revisão de conteúdo por pessoas qualificadas. Descartando, deste modo, as cópias realizadas com objetivo unico e exclusivo de enriquecimento financeiro.