28 de mar de 2011

Consumidor Neandertal


As vezes me sinto um consumidor dos tempos das cavernas, ou um ET!
Basta sair para comprar algo fora de moda, algo que os jovens vendedores com suas limitadas culturas fast food desconhecem!

Acompanhe duas aventuras

Caso 1
Precisava converter imagens gravadas em fitas VHS-C para imagem digital através do meu notebook.
Sai, então, à procura de um adaptador de fita VHS-C para VHS, já que tenho um vídeo cassete player e com o equipamento de conversão que tenho, consigo inserir de forma digital pelo USB do meu notebook.
Na maioria das lojas, os vendedores olhavam ou com cara de "do que você tá falando?" ou de "Nunca vi  isso!" ou até cara de "Esse cara é de qual século?"

Um ou outro tentava entender minha explicação, mas, quanto mais eu explicava pior ficava:
- Aquela peça que parece uma fita VHS onde você poe uma fita menor dentro, para rodar no vídeocassete player!

Quando um estava quase entendendo, abaixava no balcão e depois me entregava uma fita de Mini DV.
- Não, não é esta fita, é uma caixa onde você pode colocar uma fita parecida com essa só que não é Mini DV, é a VHS-C.

Um pouco mais de persistência e finalmente um vendedor abaixa pela segunda vez no balcão, pega algo e ao levantar poe na minha mão...
Uma fita de microcassete!

Mais um dia de caminhada, novas lojas, entrando e saindo.
Até que em uma loja ouço a vendedora falar que tem!
Tem o adaptador de VHS-C, disse que sabe bem do que to falando. Tem sim, mas... acabou!

Sorte que existe a internet com suas lojas de raridades e trocas!



Caso 2
Tinha urgência em digitalizar fotos que estavam em dispositivos, ou seja, os antigamente conhecidos "slides", para mandar para meu irmão, algumas fotos dos tempos de infância dele.
Fui de loja de revelação digital em loja, perguntando se ali faziam a digitalização.
De tanta prática descobri que se um vendedor responde não em menos de 3 segundos é porque ele não conhece o produto e acha que a melhor saída (quando o patrão ou gerente não está perto) é dizer que não tem.
 (Diga-se de passagem que já vi vendedor dizendo que não tinha um produto, que estava a menos de 40 cm do queixo dele).
Na maioria das lojas os vendedores nem sabiam do que eu estava falando, simplesmente desconheciam o que era um slide, imagine só qual cara fariam sem eu tivesse perguntado por diapositivos?
Finalmente encontrei uma loja que fazia a conversão de "binóclinho" para papel e isso por um preço exorbitante.

Como a necessidade é a mãe da invenção, cheguei em casa, rachei a cabeça e montei meu próprio conversor de slides, reciclando embalagens e uma câmera digital.