26 de ago de 2010

Não use siglas e jargões



Se você pretende atingir seu público alvo, de forma eficáz, não use siglas e jargões desconhecidos pelo seu público, em seus anúncios.
Procure transmitir a mensagem na linguagem de seu público!
A não ser que você esteja anunciado um novo tipo de dicionário ou uma nova enciclopédia e quer deixar o cliente curioso e motivado a procurar as respostas em seu produto.
Também, pode utilizar siglas e jargões quando está vendendo um produto para um publico específico com por exemplo: softwares de arquitetura, Equipamentos de paraquedismo etc.
Entretanto, anúncios que visam atingir a população em geral, perdem sua eficácia quando possuem siglas.
Normalmente, tememos o desconhecido. Ficamos com um pé (ou dois) atrás com coisas que não compreendemos.
É isto que ocorre com o consumidor.
Pensamentos como:
- Essas letrinhas estão aqui para me enrolar!
- Estão falando assim, só para eu não perceber que este produto é uma "bomba"!
- Se eu comprar to f... na mão da assistência técnica!
Surgem na mente do consumidor e e dissolvem a delicada relação de confiança que estava tentando criar junto ao seu público.

Vejamos alguns exemplos:
Empresa de modens tentando expandir o mercado e vendendo modens e roteadores em supermercados, anunciando que seus equipamentos são os melhores para uso com Dynamic IP, VoIP, VPN, ISP, ASP, LAN, SAN

Empresa de software de gestão tentando abrir um nicho de mercado entre as pequenas e micro empresas, anunciando suas soluções como as melhores  em ERP, SOA,

Ou ainda um fabricante de celular, tentando popularizar sua marca ao mesmo tempo que indica que seus aparelhos são 4band ou, EV-DO Release A e Release B, GPRS, GSM, HSPA, HSDPA, HSUPA, TDMA ou WCDMA.

Anúncios em classificados são os campeões de siglas.
Os anunciantes tentam transformar um espaço de pequenas palavras em uma versão compacta do manual do proprietário.


Certo dia estava eu procurando um apartamento para alugar em Campinas, e entre centenas de anúncios com milhares de siglas, encontrei um que me interessou pelo preço "160".


Vendo/Alugo
Ap Conv., 3d, as, Sala 2A, S gar, Mob. 160
Plantão no local
Estava desfazendo uma sociedade em um escritório de cobrança e precisava encontrar um lugar pequeno, perto do escritório e com o menor valor possível.
Ao ligar para agendar o horário da visita, o corretor me falou que o imóvel era sem dúvida o ideal para um advogado como eu.
Chegando no local já fiquei meio desconfiado pela localização (em frente ao centro de convivência no bairro Cambuí), mas como o prédio era antigo, resolvi entrar, pois estava com a cabeça em mil questões e  não dei muita atenção aos detalhes, como um recepcionista na portaria, um amplo elevador.
Quando no andar, percebi que o elevador parou de cara com o hall de entrada.
Uma rápida volta pelo imóvel e constatei que era grande demais para os meus planos, com muitos quartos, salas de dois ambientes, quarto de empregada, área de serviço etc etc.
Quando perguntei o preço só para entender qual teria sido a minha confusão, o corretor informou que estavam alugando ou vendendo.

Para a venda o proprietário queria R$ 160.000,00 à vista.