19 de out de 2009

Guia pratico para o casamento feliz - 01.5


Prefácio

Neste pequeno guia, estão as melhores dicas para as pessoas que desejam manter o casamento, ou qualquer outra relação, feliz.
A forma adotada para a apresentação, será a de pequenos contos sobre momentos importantes na vida à dois.
São constatações resultantes da observação criteriosa de centenas de famílias.



Capítulo 1
Flexibilidade

É a qualidade essencial para um bom relacionamento à dois.
Porém, não cometa o erro de muitos, ao confundir flexibilidade com submissão.
A flexibilidade é a arte de eventualmente, realizar os desejos do outro de forma positiva e descontraída ao passo que a submissão é a permanente anulação dos seus desejos e a realização dos desejos do outro. O que cedo ou tarde leva ao descontentamento e a frustração.

Vejamos um exemplo:
Quando eu ainda estava namorando minha atual esposa, e viajamos para curtir um agradável fim de semana na praia, junto com outros casais, no momento em que já estávamos de saída para o jantar, quando minha namorada, me criticou em publico, por ter vestido uma camiseta diferente da que ela desejava que eu vestisse.
Eu simplesmente, voltei para o quarto e vesti a camiseta que ela desejava.
Para que este ato se tornasse frequente, tratei de manifestar minha contrariedade, afixando no peito da camiseta, um pequeno bilhete com a seguinte frase "Camiseta autorizada pela Srta. __________".


Capítulo 2
Argumentação
Importante também é sempre argumentar com o outro. Não que isso te trará vitórias, pois, muitas vezes, nem será ouvido, mas é ótimo para compensações posteriores.


Capítulo 3
Paciência
É uma habilidade que deve ser treinada constantemente. Portanto, não recuse oportunidade de treinamento, tais como: pegar os filhos (seus ou dos outros na escola) ou levá-los para o parque; esperar com o carro na porta pela namorada ou esposa que disse estar quase pronta.
Treine sua mente e seu corpo para saber esperar pelo melhor momento de uma ação:

Exemplo:
A pouco tempo, depois de alguns anos de casados, em determinada hora do dia, avisei minha esposa que iria me ausentar por uns minutos da presença dela para satisfazer minha necessidade fisiológica Nº2. Quando no começo da noite comuniquei uma segunda ausência, ela aumentou a vóz e cobrou: "Você agora faz o Nº2 duas vezes por dia ou uma?".
Não entrei em bate boca, nem em luta corporal pelo meu direito de "por pra fora o que me incomoda" e usando da técnica da paciência, não fui ao banheiro até passar da meia noite, quando então, voltei até minha esposa e pedi para ela me esclarecer se ela tinha me autorizado a fazer o Nº2 somente uma vez por dia ou a cada 24 horas.

Em breve (se eu continuar vivo) apresentarei mais dicas para um casamento feliz.

Edição revista e ampliada!

Capítulo 4
Cada coisa no seu tempo
Muitos casais não conseguem chegar a um acordo sobre a divisão do tempo dedicado a vida em comum.
É fundamental que o casal estabeleça o diálogo para chegar a um acordo quanto a essa divisão.
No meu caso, por trabalharmos em empresas diferentes e termos rotinas diferentes isso causava enormes transtornos.
Tudo foi revolvido quando minha esposa definiu o horário para conversarmos e ficarmos um pouco juntos dando atenção um ao outro.
Ela estabeleceu o período das 18:15h às 7:30h para nossas conversas e para ficarmos juntos, desde que neste período ela não esteja:
Assistindo TV;
Usando o computador;
Dormindo;
Tomando banho;
Comendo (válido tanto para alimentos doces, como para alimentos salgados)
Escovando os dentes ou
mudando de roupa
Para facilitar ainda mais, ela também estabeleceu o tema de nossas conversas durante esse período, que são:
Todos os assuntos que ela tiver interesse em conversar.
Após implantarmos estas pequenas regras, nossa vida mudou completamente e hoje, não temos mais discussões do tipo "Você não me dá atenção!" e outras de caráter semelhante.