29 de mai de 2009

Homenagem ao último pé de tabaco

Antes que escrever sobre o fumo (tabaco) seja considerado uma contravenção pena e antes que mostrar uma foto de fumo, seja considerado um crime hediondo, posto aqui um breve registro sobre o tabaco.
Afinal,a história de minha família está profundamente relacionada a comercialização do tabaco.

Todo o processo de produção começa com a escolha das sementes, dos melhores e mais produtivos pés de tabaco, quando as sementeiras estão secas, inicia-se o plantio, que originalmente era realizado diretamente no solo, e hoje, é realizado primeiro em viveiros e posteriormente transplantados os pés já com uma altura aproximada de 20cm.

Sementes quase no ponto de coleta.

As sementes do tabaco são minúsculas (10 mil a 30 mil sementes por grama).

Em condições apropriadas, elas germinam rapidamente.

A etapa seguinte é o crescimento, quando muito cuidado para evitar pragas e geadas são tomados.

Entre as variadas espécies de tabaco, temos as de flores brancas


e outras de flores rosas

Plantação de tabaco

mais uma foto de uma típica plantação de tabaco

Quando as folhas atingem as condições idéias, são colhidas e inicia-se o processo de cura.

Cura ao sol


Cura em galpão

Até este momento os processos são bastantes semelhantes, seja para a produção de tabaco para cachimbo, seja para a produção de cigarro de papel, de charutos e cigarrilhas ou mesmo para o fumo de corda (palheiro).

Após essa etapa, os processos se tornam distintos e agora vamos comentar somente o processo para a produção de fumo de corda ou fumo de rolo.

Todas as folhas são classificadas, de acordo com a sua posição no caule e suas características, que determinam assim, a sua melhor utilização.




Enrolando as folhas


Preparando para enrolar a corda


Fumo já enrolado e trançado para a secagem


Secando ao sol

Secando ao sol

Nesta etapa os rolos são periódicamente virados e girados, além de serem abrigados da chuva e frio.



Nesta fase os rolos de fumo estão prontos para a comercialização
Cada tipo de tabaco e cada região produtora dá origem a um determinado tipo de fumo,

conhecidos habitualmente pelo nome da região, como o Goianinho, o Arapiraca, o Passo Fundo, etc.

Outros, recebem os nomes de suas característica principais, como o amarelinho.



Rolos de fumo expostos no balcão de venda

São vendidos por grama, e cortados no momento da compra, ou previamente embalados em pequenas porções ou ainda, já desfiados.


Fumo sendo picado e desfiado


Mas não é nesse momento que o fumo pode ser apreciado, poís antes é necessário escolher a palha ideal ou o papel em que será enrolado.
Só então o cigarro de palha está pronto para ser aceso e apreciado, sem pressa entre uma prosa e outra, com os amigos.

Em minha infância, participei de todas as etapas da produção e comercialização do tabaco.
Inúmeras vezes fomos até as regiões produtores acompanhar o meu pai na escolha e negociação de compra dos melhores rolos.
Depois quando o tabaco chegava em casa, estocavamos os rolos das variadas marcas e até mesmo produziamos nossa variedade de sabor, com a aplicação de uma calda de caramelo e novo enrolamento, conforme os rolos iam secando e afrouxando.
Ora faziamos o fracionamento dos rolos e rolos menores, para a venda na região ou mesmo o fracionamento em porção para a venda.
Quando então estas frações eram embaladas e encarteladas.
Já na comercialização, participava, no atendimento do cliente no balcão da tabacaria da família.

Para saber mais:
http://br.geocities.com/poconet/economia.htm (sobre o cultivo do fumo em Poço Fundo -MG)