16 de nov de 2008

Fumando sem pensar


Vejo uma garota no banco do motorista de um Peugeot 206, na porta da locadora de vídeos, em um sábado lá pelas 21:00h, esperando uma amiga chegar.
Passa batom, maquiagem, põe brincos... usando o retrovisor... se arruma toda...
Enquanto isso fuma dentro do carro, com os vidros fechados!
Com certeza o ato de fumar um cigarro, para compensar a ansiedade dos momentos de espera, está tão impregnado em seu pensamento que ela não tem noção de que, ao chegar no barzinho, na pista ou aonde quer que ela esteja indo, todos (digo todos mesmo) que a abraçarem ou apenas se aproximarem dela ficarão com a amarga lembrança de um cabelo fedido de cigarro ou com bafo de cigarro.
Talvez, ela amenize o bafo com chicletes... ai teremos bafo de chicletes com cigarro.
E a lembrança ruim estará potencializada pelo contrastes, entre os primeiros segundos de imagem de uma garota, lindinha, produzida, maquiada e o cheirão de cigarro.
Não sou contra o tabaco, mas sou contra o cigarro de papel. Que foi inventado exclusivamente para; queimar mais rápido e viciar o consumidor.