13 de mar de 2008

Quem meu filho será?



Cresci brincando de mocinho e bandido.
Brinquei de guerra.
Me divertia indo ao circo, para ver o leão na jaula, o coelho na cartola do mágico, os chimpanzés andando de bicicleta.
Aprendi lutas marciais na infância.
Brinquei na rua.
Brinquei com meninos de rua, crianças que não tiveram tudo o que eu tive.
Furtei muita fruta no pomar do vizinho.
Hoje sei diferenciar o certo do errado, sei o que é bom e o que é ruim
Não uso armas, não furto, não uso de violência, não causo mal aos outros.
Agora alegam que devemos tirar de perto de nossas crianças tudo o que é "ruim", tudo o que pode "prejudicar" sua "boa" formação!
Meninos não podem aprender a brigar.
As crianças não podem ver os animais no circo.
Tenho receio de estarmos causando mais mal, do que bem, para o futuro de nossas crianças...
Estamos tomando atitudes simplistas!
Alguns podem dizer que o que sou é, fruto da sorte, mas, eu discordo.
Sou fruto da educação de meus familiares e dos meus professores.
Acredito que o caminho para um mundo melhor não é o do isolamento dos nossos filhos, da realidade do mundo.
Creio que o caminho é o da educação.
Sim! É o caminho mais difícil, mas, é o correto.
Cabe aos que podem, o dever de ajudar, aos que possuem dificuldades, na educação de nossas crianças.