27 de nov de 2007

MBA

Antigamente as pessoas aprendiam com a vida, com a experiência, com pessoas mais velhas que ensinavam os jovens à fazer o que era necessário.

O tempo foi passando e as coisas foram mudando, chegamos a um ponto em que as pessoas iam para a escola aprender. Foram perdendo a noção de ouvirem as pessoas que sabiam mais, que já lidavam com o trabalho, e deram mais importância aos doutores das faculdades.

Só que, chegou-se a um ponto em que, o que se aprendia nas escolas não servia na prática, a teoria não preparava as pessoas para o dia-a-dia. E estas pessoas, que possuiam condições de estudar, já viviam isoladas da realidade e durante os estudos ficavam ainda mais isoladas.

Foi necessário, então, uma volta aos velhos tempos, porém, claro que os gurus, os mestres, os doutores não podiam deixar de aproveitar esta oportunidade de transformar essa volta em um produto comercial.

Voilá!

Criaram o "MBA", que segundo li nas revistas que olho nas bancas é um curso que coloca as pessoas que estudaram no mundo real. No curso, que custa uma fortuna, elas vão aprender a falar com pessoas, a decidir, a agir.

Criaram, também, um outro produto comercial, o tal do "Coach" (não sei se está certo a grafia) que nada mais é do que pedir a uma pessoa mais velha e experiente, para te ensinar a fazer as coisas, na prática ou com dicas.

Do jeito que as coisas andam, não vou dizer que logo passarão a vender água ou ar em garrafa, pois isso já fazem à muito tempo, mas, logo descobrirão que precisamos beijar e abraçar as pessoas, e com certeza, criarão a função dos recebedores de carinho e beijos, que irão nos escritórios, e cobrarão os serviços por hora.

Será criado um curso onde se ensinará como receber abraços, como dar a face ao beijo, etc... Provavelmente os formados serão chamados de abraço-terapeutas ou coisa do gênero.

Sorocaba - SP, 13 de novembro de 2000.