21 de nov de 2000

Terminal Magnifico

Estava no terminal São Paulo.
Chovia e eu observava as pessoas em gigantescas filas para pegar o ônibus expresso.
Somados os fatores da chuva e do horário via-se a cena ridícula de pessoas se amassando dentro do ônibus, de pessoas mais fortes e covardes pressionando pessoas mais fracas, homens aproveitando para passar a mão nas mulheres e tirar "casquinha".
As portas sendo fechadas prensando as pessoas que insistiam em entupir as escadas.
Um ou outro espertinho contornando a grade de separação e furando a fila.
E tudo porquê?
Vontade de uns de se divertir, de outros de se aproveitar da situação até para bater carteira.
Quanto as autoridades: O que é isso?
Não havia nem orientador, nem organizador de fila, nem policial, para evitar excessos. Nada.
Ônibus, não faltava, mas mesmo assim a fila parecia não terminar.
O abuso não era só de jovens contra mais velhos, senhores pisavam, espremiam crianças, empurravam-nas para fora sem a menor cerimônia.

Já ia me esquecendo!
O terminal é uma maravilha arquitetônica, seu telhado reto e extremamente alto só protege nos dia de calor, quando o sol está à pino.
Nos dias de chuva não protege nada e os orelhões foram instalados fora da cobertura.